Formol. Você assume o risco?

Cerca de 90% de mulheres na idade adulta já usaram algum tipo de química nos cabelos.

Há alguns anos uma nova forma de alisar os cabelos fez com que milhares de pessoas se rendessem ao procedimento.
O Formol chegou com uma promessa de deixar os cabelos muito mais lisos e com brilho duradouro. Os anos se passaram e, ainda que o mesmo tenha recebido diversos nomes por aí, ele continua presente em diversos salões de beleza do Brasil e do mundo. “No cabelo o formol danifica a cutícula, que é a parte mais externa dos fios, e deixa o córtex, a parte interna, bastante vulnerável ao ressecamento e perda da cor. O formol solubiliza óleos e, portanto, dissolve o cimento intercelular e a membrana celular que envolve as fibras de queratina tornando-as desprotegidas.

Que o formol é prejudicial à saúde todo mundo já está careca de saber. Ops, careca?
Está aí uma expressão bem ruim de ser dita por aqui. Mas a verdade é nua e crua. Mas por que tantas pessoas ainda insistem em usar este produto em suas vidas? E por que tantos profissionais não alertam seus clientes para o mal que estão fazendo?

“Na literatura existem relatos que o formol também levou mulheres a óbito por reação alérgica após aplicação nos cabelos, através de choque anafilático e asfixia. Cabeleireiras que aplicavam escovas progressivas contendo formol também foram vítimas de intoxicação, tendo como consequência a impossibilidade de trabalhar, pois as reações alérgicas a impossibilitaram de trabalhar com qualquer substância química. Outras profissionais tomam antialérgicos e até mesmo antibióticos para que sejam desintoxicadas (CAVALCANTE, 2007).”

Seja qual for o motivo de cada um, a função de profissionais éticos é informar. Depois da informação você se torna responsável por suas escolhas.

“O formol não deixa a oleosidade natural da raiz chegar às pontas e nem que os nutrientes necessários para a saúde capilar e a água penetrem os fios, fazendo com que o couro cabeludo sofra irritações. Além disso, ele retira toda a queratina e proteção dos fios, resultando na queda capilar.’’ Cristiane Câmara Alves, médica tricologista, especialista em cabelos. A terapia capilar veio para recuperar a saúde desse cabelo extremamente debilitado. E não existe outro caminho para a cura senão o caminho do cuidado, da regeneração e da consciência de cada um.

A vida é feita de escolhas, e você pode escolher agora por ter cabelos e saúde amanhã, ou pode continuar expondo sua vida e seus cabelos ao uso errôneo de substancias danosas a eles.
Do lado de cá eu continuo repudiando o uso do formol. Pela falsa ideia de cabelo saudável que ele proporciona e pelos riscos reais a sua saúde.

Deixar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *